Tubulação furtada encontrada em Cabaceiras do Paraguaçu. (Foto: Divulgação/PC)
A Polícia Civil de Mata de São João investiga o furto de ferros de tubulação da linha de produção da Petrobras no município. Na última quarta-feira (8), através de denúncias anônimas, os investigadores localizaram e conduziram um dos receptores do material no município de Cabaceiras do Paraguaçu, a 150 km da Capital. 

Pelo menos 1,2 mil metros de tubos foram encontrados pela polícia num galpão de propriedade do receptor. Parte da tubulação foi usada na estrutura do próprio galpão, onde funciona uma empresa de beneficiamento de laranjas. O material apreendido passou por perícia antes de ser retirado do local. 

null
Tubos furtados na estrutura do galpão e exposto no chão. (Fotos: Divulgação/PC)

Segundo o delegado titular de Mata de São João, Euvaldo Costa, os dutos furtados são usados também em portões, currais, cerca de pasto e pier. 

Costa revelou ao Mais Região que as investigações estão avançadas e que há suspeita que pessoas da cidade estejam envolvidas neste tipo de crime. Os receptadores chegam a pagar R$ 50, por cada tubo de 6 metros. 

No dia 3 deste mês, foram furtados cerca de 2,4 km de tubulação. A quadrilha age durante a madrugada em locais ermos. O crime vem sendo praticado há um ano na cidade, informou o delegado. 

Policiais da 4ª Coordenadoria Regional de Polícia Civil (Coorpin) também integram as investigações. 


Prejuízo
Para a Petrobras, o prejuízo é muito maior do que a reposição da tubulação furtada pela quadrilha. A ação criminosa acaba interrompendo a linha de transmissão, o que gera prejuízos na logística e na produção.

Além de Mata de São João, o furto de tubulação da Petrobras ocorre também nas cidades de Pojuca, Madre de Deus e Esplanada.


Receba as nossas notícias em seu WhatsApp!
Adicione 71 9 9663.6360 em seus contatos e mande uma mensagem pra gente.

Comentários

AVISO - Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie através do nosso whatsapp 71 99663.6360 ou do email jornalismo@maisregiao.com.br. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal. TERMOS DE USO

mais notícias » Leia também

Publicidade
Publicidade