Quarta, 01 de Dezembro de 2021 03:06
(71) 99663.6360
Geral Bahia

Homicídios aumentaram 11% na Bahia em 2021, aponta Monitor da Violência

Estado foi o que registrou o maior crescimento no Nordeste

19/11/2021 05h23
Por: Maryane Meira
Reprodução
Reprodução

O 2021 dos baianos foi marcado pelo aumento da criminalidade. É o que mostra o Monitor da Violência, que aponta um incremento de 11% no número de homicídios no estado nos nove primeiros meses deste ano em relação ao mesmo período do ano passado.

Os dados do índice nacional de homicídios mostram que, em 2020, 3.832 assassinatos foram registrados pelos órgãos de segurança da Bahia entre janeiro e setembro. Já em 2021, foram 4.252 mortes.

Abril foi o mês com maior número de mortes violentas: 532. Já julho foi o que registrou o menor índice, com 430. De abril a julho, a Bahia registrou queda, no entanto, a partir de agosto os números voltaram a subir.

Contramão


O crescimento observado na Bahia vai na contramão do observado no cenário nacional, que registrou queda de 4,7%. No Brasil, foram registradas 30.954 mortes violentas, contra 32.471 nos mesmos meses de 2020. Ou seja, 1.517 a menos. 

Ou seja: a Bahia registrou 13,7% dos homicídios no Brasil apesar de ter apenas 7,3% da população brasileira.

O estudo contabiliza as vítimas de homicídios dolosos (incluindo os feminicídios), latrocínios e lesões corporais seguidas de morte.

Comparativo regional


Quando leva-se em conta apenas os estados da região Nordeste, a Bahia também lidera a estatística negativa. Enquanto cinco dos nove estados apresentaram queda no número de homicídios, a Bahia foi o que teve o maior aumento, seguida por Piauí (10,9%), Paraíba (5,8%) e Maranhão (3,7%).

O vizinho Sergipe foi o que teve a maior queda da região: 29,4%.

SSP culpa facções


Em nota, a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) reconheceu a veracidade dos dados e culpou a briga entre grupos criminosos pelo domínio do tráfico de drogas como principal causador do aumento no número de homicídios.

A SSP-BA disse que a rixa foi acirrada por conta da soltura de mais de três mil pessoas durante o período da pandemia, por determinação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

 

"As polícia Civil e Militar têm trabalhado intensamente para mudar esse quadro com o reforço das operações, investimento em tecnologia e em ações de inteligência que visam a identificar o líderes desses grupos e impedir novas ações", diz o comunicado.

A pasta também pondera que, apesar do aumento registrado esse ano, o mês de setembro teve o menor número de mortes violentas de 2021, e o mês de outubro contabilizou menos 13% do número de mortes comparado ao mesmo período de 2020. "Mostrando o início de tendência de queda", afirma a SSP.

O Monitor da Violência é uma parceria do g1 com o Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (NEV-USP) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Relembre crimes


Em maio deste ano, o blogueiro Pablo Luiz Lessa França, conhecido como Pretoozo, foi morto a tiros dentro de casa no bairro Fazenda Grande do Retiro, em Salvador.

No dia 7 de outubro, o vereador Sivaldo Alves Barreto (PSD), da cidade de Ipecaetá, foi morto a tiros dentro de um bar da vizinha Santo Estêvão. Duas pessoas desceram de um carro e começam a disparar vários tiros contra a vítima. A Polícia Civil afirmou que havia indícios de que o crime teria relação com o tráfico de drogas.

Em São Gonçalo dos Campos, na região de Feira de Santana, um policial civil foi morto no dia 30 de outubro. Eliel Santana dos Santos, 58 anos, trocou tiros com suspeitos durante uma tentativa de assalto. Um dos homens também morreu.

Em novembro, uma disputa por um terreno e desejo de vingança motivaram a morte de três pessoas da mesma família em um ataque na cidade de Madre de Deus, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), no último dia 3. A dupla de irmãos acusada pelos assassinatos fugiu.

Em Salvador, durante a madrugada de ontem, um novo tiroteio no bairro de Valéria, assustou moradores da localidade do Penacho Verde. Não houve vítimas, mas a polícia prendeu dois suspeitos e reforçou a segurança no bairro. Uma ação conjunta das polícias Civil e Militar, com o intuito de prender envolvidos em homicídios e outros crimes violentos letais intencionais (CVLIs), localizou com os dois suspeitos presos tabletes e porções de maconha, munições, crack, cocaína e um rádio comunicador.

Foi em Valéria, no fim de outubro, que duas pessoas foram mortas durante um ataque de homens armados. Em um dos casos, segundo moradores, a intenção era executar um rival da facção Katiara, mas integrantes do Bonde do Maluco (BDM) mataram o catador de material reciclável Fábio Melo de Jesus, 36 anos. Ele morava com a família na localidade da Bolachinha, que antes era alugada pelo desafeto dos seus algozes. Dois filhos da vítima presenciaram o crime.

Em 12 de outubro, uma festa tipo paredão foi interrompida por tiros, no bairro do Uruguai. Moradores contaram que os disparos teriam começado após uma discussão entre pessoas que já estavam no evento. Doze pessoas foram baleadas e seis morreram. Na ocasião, o governador Rui Costa afirmou que “quem está financiando a morte desses jovens é o fluxo financeiro do tráfico” e proibiu as festas de paredão.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.