Sexta, 15 de Janeiro de 2021
(71) 99663.6360
Geral Alta de 32,89%

Cesta básica em Salvador tem maior aumento anual entre capitais

O valor médio do conjunto de itens básicos de alimentação na capital baiana em 2020 foi de R$ 429,14, segundo o Dieese

13/01/2021 08h28
Por: Keila Abreu Fonte: Correio24horas
Reprodução/ Desconhecida
Reprodução/ Desconhecida

Em dezembro, o soteropolitano que recebe o salário mínimo precisava trabalhar 102 horas e 52 minutos e usar 49,56% da remuneração líquida para comprar a cesta básica.

Os dados apontam para um 2021 de dificuldades caso o valor da cesta continue a crescer, indica Ana Georgina. “Salvador tem um grande desemprego e as pessoas que estão ocupadas, geralmente, têm emprego informal e precário. Quanto mais a alimentação e a cesta básica, que tem pouca margem para troca, aumentam, é penalizada a população que está no desemprego e dependia do auxílio emergencial ou em trabalhos precários com rendimento até menor que o salário mínimo. Os aumentos na cesta são perversos, especialmente, para pessoas com menor rendimento”, afirma a supervisora técnica do Dieese.

Dias ressalta que a cesta é composta por apenas 12 itens que são capazes de alimentar um adulto ou duas crianças, portanto, os gastos são ainda maiores para uma família com mais membros. Além do preço dos alimentos, existem outras necessidades básicas, como comprar o botijão de gás, que também está em alta.

“Por Salvador ser uma cidade com o desemprego elevado, com uma taxa de pobreza alta e a variação [da cesta] ser muito maior que reajuste do salário mínimo e dos benefícios sociais, o bem estar das famílias pode ser bastante impactado”, pontua o professor de Economia da Universidade Federal da Bahia e sócio da Arazul Research, Rodrigo Oliveira.

Com base na cesta de São Paulo, que foi a mais cara no 12ª mês de 2020, o Dieese estima que o salário mínimo necessário deveria ser de R$ 5.304,90, o que corresponde a 5,08 vezes o mínimo vigente no mês. Segundo o instituto, o cálculo é feito levando em conta uma família de quatro pessoas, com dois adultos e duas crianças.

Auxílio emergencial

Se com o auxílio emergencial de R$ 600, que começou a ser pago em abril, dava para comprar, pelo menos, uma cesta básica inteira em Salvador, a redução do benefício para R$ 300, em setembro, não permitiu a compra do conjunto de itens básicos. Agora, com o fim das parcelas em dezembro, não há mais o apoio para a população.

“O auxílio emergencial foi fundamental para dar poder de compra para as pessoas mais pobres na Bahia. Com a cesta básica tão cara e o fim do benefício, provavelmente, vai ocorrer um crescimento de problemas sociais e pode faltar comida na mesa das pessoas. É preciso verificar outras políticas [de assistência]", afirma Oliveira.

Segundo dados do Portal da Transparência da Controladoria-Geral da União, a Bahia possui 5.772.962 beneficiários do auxílio emergencial, o que corresponde a 41,78% da população do estado. Em Salvador, receberam o benefício 961.840 pessoas (35,95% da população). De acordo com a Caixa Econômica, foram pagos R$ 25,3 bilhões para pessoas do estado, o equivalente a 8,6% do montante total pago.

Produtos

Na comparação com dezembro de 2019, o valor do óleo de soja e do tomate dobrou em um ano, segundo o levantamento. O primeiro registrou uma variação anual de 107,53% e o segundo de 102,56%. O arroz agulhinha ficou com o terceiro maior aumento: 80,67%.

De acordo com o Dieese, a alta do tomate é resultado da redução de área plantada e de fatores climáticos. Já o aumento do óleo foi influenciado pelo volume elevado de exportação de soja e derivados, pela desvalorização do real em relação ao dólar e à forte demanda externa

No período, também registraram alta a banana (39,78%), a carne bovina de primeira (32,01%), o açúcar cristal (23,04%), o leite integral (21,71%), o feijão carioquinha (17,54%), a farinha de mandioca (10,96%), a manteiga (8,52%) e o pão francês (5,56%). Dos itens pesquisados, apenas o café em pó teve queda de 6,78% no ano.

Na comparação dos preços médios dos produtos em dezembro e novembro de 2020, a banana registou a maior alta, com um crescimento de 15,77% do seu valor, seguida do arroz (9,10%) e da farinha de mandioca (6,67%). O óleo de soja também encareceu após registrar alta de 4,86%, bem como o açúcar, com 4,71%; a manteiga, com 1,14%; o feijão carioquinha (0,73%) e carne bovina (0,63%).

Já o preço do tomate caiu em 19,24% na comparação com novembro. O leite teve redução de 2,54%, café de 0,80% e o pão de 0,19%.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Sobre o município
Mata de São João - BA
Atualizado às 22h54 - Fonte: Climatempo
25°
Poucas nuvens

Mín. 24° Máx. 31°

25° Sensação
8.2 km/h Vento
81% Umidade do ar
90% (7mm) Chance de chuva
Amanhã (16/01)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 23° Máx. 31°

Sol e Chuva
Domingo (17/01)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 24° Máx. 32°

Sol e Chuva
Ele1 - Criar site de notícias