Domingo, 19 de Setembro de 2021
(71) 99663.6360
Geral 2022

Carnaval em Salvador depende da imunização de 100% da população com a primeira dose

Segundo o gestor municipal, para a confirmação do Carnaval no próximo ano, é necessário que além da primeira etapa da imunização, a cidade tenha a certeza de que terão vacinas suficientes para a aplicação da segunda dose.

27/07/2021 11h43
Por: Keila Abreu Fonte: Bahia Notícias
Reprodução/Desconhecida
Reprodução/Desconhecida

A realização do Carnaval de Salvador em 2022 está condicionada a imunização da população com ao menos a primeira dose da vacina contra a Covid-19. 

Em conversa com a imprensa nesta terça-feira (27), durante o anúncio das ações de promoção do destino Salvador por meio do Road Show Salvador 2021, o prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), revelou que a expectativa de algum anúncio por parte da Prefeitura é apenas no final do ano.

Segundo o gestor municipal, para a confirmação do Carnaval no próximo ano, é necessário que além da primeira etapa da imunização, a cidade tenha a certeza de que terão vacinas suficientes para a aplicação da segunda dose.

"É um timing muito mais da indústria do Carnaval do que da Prefeitura. Eu me lembro muito bem que a gente trabalhou com esse timing como novembro do ano passado então nós ainda estamos em julho, chegando a agosto. Se os números continuarem a ceder assim que eu chegar a 100% de imunização da população com a primeira dose, publico alvo, população adulta, e tiver a garantia da aplicação da segunda dose ainda esse ano, com a margem de segurança para a realização do Carnaval eu irei fazer os devidos anúncios", garantiu.

As conversas sobre a realização da festa ganharam ainda mais força no segundo semestre de 2021. Nesta terça-feira acontece a eleição da nova Mesa Diretora e Coordenador Executivo do Carnaval 2022.

Em recente entrevista, o presidente da Empresa Salvador Turismo (Saltur), Isaac Edington explicou a alternativa dada pelo secretário de Saúde Leo Prates de um evento indoor no Carnaval e revelou que a sugestão vem sendo trabalhada como uma tentativa de controlar o acesso e monitorar o público, caso haja uma eventual contaminação.

Empresários do ramo também trabalham com a possibilidade de uma folia indoor, mas pensam positivo em um cenário do Carnaval de rua. 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.