Quarta, 21 de Abril de 2021
(71) 99663.6360
Esporte E. C. Vitória

Léo Ceará está perto de recorde inédito na história do Vitória

Atacante tem mais dois jogos para tentar a façanha

23/01/2021 10h56
Por: Maryane Meira Fonte: Correio 24h
Letícia Martins / EC Vitória
Letícia Martins / EC Vitória

Os 16 gols que Léo Ceará marcou na atual Série B o aproximam da artilharia da competição, mas não só isso: o atacante está perto de alcançar um recorde inédito na história do Vitória.

Desde a primeira edição do Campeonato Brasileiro, em 1959, jamais um jogador rubro-negro terminou como artilheiro da competição, independentemente da divisão que o clube disputou na temporada.

Restando duas rodadas para o fim da Série B atual, Léo Ceará está a um gol do feito. O artilheiro é Caio Dantas, que anotou 17 gols pelo Sampaio Corrêa. Um detalhe aproxima ainda mais o jogador do Leão do recorde: Caio Dantas deixou o clube maranhense na virada do ano. Como o terceiro colocado na artilharia - Paulo Sérgio, do CSA - tem 10 gols, provavelmente Léo só depende dele e de seus companheiros para terminar no topo do ranking.

Com o time fazendo uma campanha ruim ao longo da temporada, ele evita falar na artilharia. “Trocaria os gols pela equipe estar lá em cima, brigando pelo acesso. Mas temos que encarar a realidade. Claro, a gente tem nossos objetivos pessoais, mas primeiramente o clube, tirar o Vitória dessa situação e deixar, no mínimo, na Série B. É o mínimo que a gente pode fazer nesta temporada”, disse o jogador em entrevista coletiva na semana passada.

Valorização

Por sinal, a artilharia da Série B 2020 registra uma alta rotatividade, fruto da valorização alcançada por quem esteve no posto - ou perto dele. Em outubro do ano passado, o veterano Léo Gamalho foi negociado pelo CRB com o Al Khor, do Catar, após a 12ª rodada, quando já havia feito oito gols.

Um mês depois, o Juventude vendeu Breno Lopes ao Palmeiras após a 20ª rodada. Na época ele era o vice-artilheiro da Série B, com nove gols, um a menos que Caio Dantas. A negociação rendeu ao clube gaúcho R$ 7,5 milhões por 50% dos direitos econômicos.

E por fim, o próprio Caio Dantas, atual artilheiro, recebeu uma proposta do exterior e deixou o Sampaio Corrêa no início do mês. Ele tem contrato com o clube maranhense até o dia 31 e o clube de destino ainda não foi revelado.

No caso de Léo Ceará, já se sabe que o atacante não ficará no Vitória após a competição, que termina no dia 29. O atacante deixará a Toca do Leão depois de enfrentar Botafogo-SP e Brasil de Pelotas nas duas rodadas que faltam.

Em entrevista recente ao CORREIO, o agente do atleta, Bruno Ferreira, declarou que já recebeu sondagens de vários times, mas aguarda o fim da Série B para definir onde ele jogará a partir de fevereiro. “Muitos. Palmeiras, Bahia, Ceará, Fortaleza, clubes do Japão, Portugal e Emirados Árabes. Não assinou porque sabemos que iremos conseguir algo melhor para o atleta”, afirmou.

Petkovic, Marinho e Neilton

Embora nunca tenha tido o artilheiro do Campeonato Brasileiro, o Vitória já fez o goleador máximo de outra competição nacional. E mais de uma vez.

Em 1999, o sérvio Petkovic terminou a disputa individual empatado com Romário no topo, com sete gols. Dois deles foram muito marcantes porque Pet fez dois golaços no empate em 2x2 contra o Palmeiras, no jogo de ida das oitavas de final, na Fonte Nova: um olímpico e um de falta. Ele fez um também na derrota por 3x2 no Parque Antarctica, que eliminou o time baiano.

Os outros quatro gols de Pet foram anotados contra o Flamengo-PI (três na primeira fase) e o América-MG (um na segunda fase).

O segundo a conseguir a artilharia pelo Vitória foi o atacante Marinho, destaque rubro-negro em 2016 e autor de seis gols pela Copa do Brasil naquela temporada. Marinho construiu sua artilharia ainda na primeira fase, quando marcou três gols no jogo de ida e dois no de volta contra o Náutico de Roraima. Depois passou em branco nos dois confrontos com a Portuguesa e anotou um na partida de volta contra o Cruzeiro, no Mineirão, que resultou na eliminação após duas derrotas por 2x1.

Por fim, Neilton em 2018. Esta edição ficou marcada pelo mínimo de gols feitos pelos artilheiros: apenas quatro. O então jogador do Vitória, que hoje defende o Coritiba, terminou empatado com Gabigol (Santos) e Rômulo (Avaí). Depois de passar em branco contra Globo-RN e Corumbaense-MS, Neilton marcou os três gols do triunfo de 3x0 contra o Bragantino, no jogo de volta da terceira fase, e decidiu também no 1x0 diante do Internacional, que levou a decisão para os pênaltis, em que o Leão se classificou. Nas oitavas de final, ele não balançou as redes contra o Corinthians.

Todos os gols de Léo Ceará:

3ª rodada - Ponte Preta 3x3 Vitória - 1 gol 
6ª rodada - Vitória 1x0 Paraná - 1 gol
8ª rodada - Vitória 4x2 Cuiabá - 1 gol
11ª rodada - Vitória 3x1 Oeste - 2 gols
17ª rodada - Vitória 1x1 Guarani - 1 gol 
21ª rodada - Vitória 3x0 Figueirense - 1 gol
24ª rodada - Vitória 2x1 CRB - 1 gol
25ª rodada - Paraná 1x4 Vitória - 2 gols 
26ª rodada - Vitória 2x3 Confiança - 2 gols
29ª rodada - Vitória 1x0 Juventude - 1 gol
34ª rodada - Avaí 2x2 Vitória - 1 gol
36ª rodada - Guarani 1x2 Vitória - 2 gols

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.